fbpx
Notícias

Covid-19 e manifestações oculares, por Victor Cvintal

Covid-19 x oftalmo: como o coronavírus vem mudando a Oftalmologia e a vida do oftalmologista

A partir da edição 185, a Oftalmologia em Foco abre seu espaço para uma apresentação dos acometimentos oculares relacionados à Covid-19 e dos efeitos do vírus na vida e rotina do oftalmologista. Como este tema é extremamente volátil e dinâmico,  o objetivo é agregar a informação contida em publicações científicas ou oficiais. A princípio, a ideia é abordar os temas relacionados às atividades não eletivas em Oftalmologia, deixando a abordagem sobre a atuação eletiva do oftalmologista para a próxima edição.

Durante o início da quarentena, uma enxurrada de notícias de primeira mão surgiu a cada minuto via Internet e redes sociais. Portanto, este artigo tem como objetivo sintetizar os fatos que relacionam o coronavírus a efeitos oculares. O objetivo não é discutir o efeito sistêmico, muito menos a apresentação de soluções terapêuticas.

A seção está dividida em partes:

– Introdução à Covid-19, a qual sintetiza o que é a doença e como se insere no meio oftalmológico;

– Achados oculares, a qual aborda diferentes aspectos que relacionam a Oftalmologia à doença,  trazendo casos publicados, cuidados e situações específicas para cada subespecialidade não eletiva;

– Apresentação de um caso clínico de paciente internado por Covid-19, em São Paulo;

– Covid-19 x retina: entrevista com Heloísa Nascimento;

– O que mudou, o que está mudando e o que deve ainda mudar, por Sergio Kniggendorf;

– Aspectos psicológicos voltados para o oftalmo: entrevista com psicóloga a Elizabeth Rocha Barros;

– Cuidados financeiros que o oftalmologista deve ter para minimizar o efeito da crise financeira em sua clínica e vida pessoal.

E atenção: a OF está aberta a ouvir a sua experiência com o novo coronavírus e a Covid-19. Escreva pelo e-mail: oftalmologiaemfoco@gmail.com.

Boa leitura.

Coronavírus: achados oculares

Um dos primeiros estudos realizados na província de Hubei, na China, investigou as manifestações oculares e a prevalência viral na conjuntiva dos pacientes com Covid-19. Dentre os estudados, 65,8% eram do sexo masculino e a média de idade foi de 65,8 (±16,6) anos. Entre eles, 28 pacientes (73,7%) apresentaram achados positivos para Covid-19 na RT-PCR de swabs nasofaríngeos e, desses, dois (5,2%) apresentaram resultados positivos para SARS-CoV-2 tanto na conjuntiva quanto nas amostras nasofaríngeas. Um total de 12 dos 38 pacientes (31,6%; IC95%, 17,5-48,7) apresentaram manifestações oculares consistentes com conjuntivite, incluindo hiperemia conjuntival, quemose, epífora ou secreções aumentadas (quatro casos julgados moderados, dois casos julgados graves e seis casos julgados críticos, classificados de acordo com o critério pulmonar da Síndrome Respiratória Aguda Grave). Nenhum deles relatou turvação visual. Pacientes com sintomas oculares obtiveram maior probabilidade de ter contagens mais altas de glóbulos brancos e neutrófilos e níveis mais altos de procalcitonina, proteína C reativa e lactato desidrogenase, em relação aos pacientes sem sintoma ocular.

Leia na íntegra, na edição 185 da Oftalmologia em Foco, clicando aqui.

Victor Cvintal
Chefe do setor de glaucoma do Instituto de Oftal- mologia Tadeu Cvintal, São Paulo, SP. Glaucoma Re- search Fellowship pelo Wills Eye Hospital, Filadélfia, EUA. Chefe do setor de glaucoma da FMABC. Editor de Glaucoma da Oftalmologia em Foco.

Ellen Chiovatto
Graduação, residência e fellowship em segmento posterior na Faculdade de Medicina do ABC. Atualmente é chefe do setor de Uveítes da Faculdade de Medicina do ABC. Doutorado em andamento pela Escola Paulista de Medicina – Unifesp.