fbpx
Artigos

Tacrolimus tópico e superfície ocular, por Bernardo Moscovici

Convidamos Dr. Bernardo Kaplan Moscovici, médico que, pela primeira vez, publicou um artigo que sugere a eficácia do tacrolimus tópico também no tratamento de olho seco aquoso dependente. Dr. Moscovici nos contará sua experiência para dicas do uso prático na rotina de nossos consultórios.

1. Como você teve a ideia de utilizar tacrolimus no olho seco?

Em 2010, estava fazendo fellowship em superfície ocular na Universidade de São Paulo e uma colega veterinária, Dra. Ana Paula Hvenegaard, estava realizando mestrado e acompanhando nosso ambulatório. Um dia, ela apresentou uma aula sobre medicações usadas em veterinária, comentou sobre seu uso de imunossupressores em olho seco em cães. Na época, já se usava pimecrolimus e o tacrolimus de rotina na Medicina veterinária. Procuramos na literatura, estudamos, e resolvemos realizar um estudo duplo cego em pacientes com Síndrome de Sjogren e olho seco, para avaliar eficácia e segurança do colírio de tacrolimus.

2. Resuma um pouco sobre o tacrolimus e como funciona.

Os dois imunossupressores mais utilizados topicamente na Oftalmologia são a ciclosporina e o tacrolimus. O mecanismo de ação é similar, mas o tacrolimus é de dez a 100 vezes mais potente que o ciclosporina. O tacrolimus é um macrolídeo com atividade imunomoduladora, isolado da fermentação do Streptomyces tsukabainses, que se torna biologicamente ativo quando se liga à imunofilina. Seus mecanismos de ação são:

• Suprime resposta imune através da inibição de liberação de interleucinas, interferon alfa e TNF.
• Inibe a ativação da síntese de óxido nítrico, apoptose e degranulação celular.
• Inibe a proliferação e também ativação de linfócitos B.
Como também está relacionado à diminuição da atividade de resposta mediada por linfócitos T, é também muito conhecido no tratamento sistêmico para uveítes e alergia. O tacrolimus tópico é conhecido também no tratamento tópico de alergia ocular, rejeição pós-transplante e na doença enxerto versus hospedeiro.1-9

3. Resuma como foi a sua experiência com tacrolimus tópico.

Nossa pesquisa utilizando tacrolimus tópico colírio a 0,03% (veículo óleo de amêndoas) com pacientes com Síndrome de Sjogren mostrou melhora tanto no status de integridade da córnea como no aumento do
Schirmer e BUT após, pelo menos, 30 dias de tratamento (Tabela 1).
Outros estudos confirmaram nossos achados posteriormente.

Autor

BERNARDO KAPLAN MOSCOVICI
Especialista em córnea pela Santa Casa de SP; em superfície ocular pela USP, e em cirurgia refrativa pela Unifesp. Colaborador dos setores de Óptica Cirúrgica, na Unifesp, e Cirurgia Refrativa, na Santa Casa de SP.

 


Editor da seção

Richard Hida
Grupo de estudo em superfície ocular – Universidade de São Paulo (USP). Óptica cirúrgica – Departamento de Oftalmo- logia – Universidade Federal de São Paulo (Unifesp). Presi- dente da Sociedade Brasileira de Laser e Cirurgia Oftálmica (BLOSS), gestão 2020.